Empleo en Dubai .com.br
 
 
empregos em Abu Dhabi , Dubai , Doha ,
 Kuwait e Bahrain .
visite nosso site oficial www.dubai10.com.br 
 
 

 
Trabalho

Há vagas. Mas bem longe

Na hora de contratar, hotéis e restaurantes
de Dubai e Abu Dhabi fazem opção preferencial
pelo jeito amistoso dos brasileiros


Juliana Linhares- REVISTA VEJA

Fotos Arquivo Pessoal

CASA E COMIDA
Alex Cale, gerente de restaurante, aprecia a "violência zero"; Cristina Piereck é uma especialista
em vinhos que precisou de carteirinha especial para beber

Quem está na faixa dos 30 anos, é solteiro, ainda não engrenou carreira, transita na área de turismo e hotelaria e nunca assistiu à novela Caminho das Índias talvez não saiba, mas existe um nicho no mercado de trabalho cheinho de vagas. Vantagens: dá casa, comida e bom salário. Desvantagem: fica a 12 000 quilômetros de distância em local de usos e costumes que são em tudo o oposto dos brasileiros. Em Dubai e Abu Dhabi, dois integrantes dos Emirados Árabes Unidos, hotéis e restaurantes buscam brasileiros e brasileiras para trabalhar em funções de recepcionista, garçom, sommelier, músico de samba e segurança. Em troca, oferecem salário de 1 000 a 2 000 dólares (que podem dobrar com as gorjetas), plano de saúde, moradia em apartamento mobiliado, com aluguel, água e luz, condução fretada e todas as refeições no local de trabalho. Desde 2007, pelo menos 100 brasileiros foram contratados por hotéis de Dubai (o total de brasileiros nos Emirados chega a 718) e existem mais 400 vagas abertas a interessados. Por que buscar mão de obra tão longe? Os Emirados, ricos em petróleo e pobres em gente, e menos ainda da categoria disposta a dar duro, são coalhados de estrangeiros. Em Dubai, 90% da população é formada por pessoas de outros países. São elas que fazem tudo, numa conhecida divisão de trabalho: os cargos de gerência e administração são ocupados por europeus, principalmente ingleses; os operários da enorme indústria da construção civil vêm de todos os países mais pobres da Ásia (assim como os motoristas de táxi são paquistaneses e as prostitutas, russas de ex-repúblicas soviéticas). Os brasileiros se encaixam num patamar médio do setor de serviços hoteleiros por serem considerados simpáticos, sorridentes e pouco dispostos a arranjar confusão. "O maior apelo do brasileiro é ser amigável. Nos hotéis em Dubai, os hóspedes são chamados pelo nome. O jeito risonho e amável do brasileiro se encaixa bem. Além disso, ainda aceitamos salários que não são altíssimos", explica Marcelo Toledo, diretor de uma agência de empregos que se especializou em levar brasileiros para Dubai.

"No que se refere a trabalho, aqui é o topo do mundo. Estamos a serviço do que há de mais luxuoso no planeta e de certa forma também desfrutamos esse conforto", diz a paulistana Cristina Piereck, 33 anos, que trabalhou como sommelière durante onze meses em um hotel de Dubai e se transferiu para um restaurante no vizinho emirado de Abu Dhabi. A contrapartida é ter de se adaptar aos costumes ultraconservadores e à alta tensão cultural num ambiente em que, nos extremos, estrangeiros consideram os locais preguiçosos e atrasados e são por estes considerados aproveitadores depravados. "As leis são duríssimas. Quase tudo é proibido. Beijo em público não pode. Beber fora dos hotéis também não", conta Cristina. Consumidora de bebidas até por profissão, ela precisou conseguir uma carteirinha, com chip-limite de 150 dólares por mês, para beber fora do horário de trabalho. "Como uma cerveja custa 8 dólares, meu consumo é bem pequeno", relata. Tudo fica ainda mais difícil no Ramadã, período de um mês em que o mundo islâmico se dedica às orações e ao jejum durante o dia: "Nós não podemos comer nem beber água na frente de ninguém". Toledo diz que, embora o salário inicial não seja muito alto e as regras primem pela rigidez, há boas e rápidas oportunidades de promoção. "É preciso assinar um contrato de trabalho de dois anos. Eles pagam a passagem de ida e de volta ao Brasil depois de dois anos e, em seguida, uma vez por ano. Mas se o contrato é quebrado o funcionário tem de reembolsar as passagens. Além disso, perde o visto de permanência no país. O mesmo acontece se ele for trabalhar embriagado ou drogado", enumera. As exigências dos contratadores incluem cláusulas escandalosamente discriminatórias. "O homossexualismo fere a legislação local. Recentemente, dois gays que estavam namorando na praia foram presos e deportados", diz Toledo. É proibido contratar judeus (que também não se candidatam a morar num país árabe) porque, na convoluta explicação de Toledo, "os Emirados não têm relações diplomáticas com Israel". Negros também não são bem-vindos – "Eles já contratam muita gente da África e Índia e gostam de diversificar o leque de nacionalidades e aparências", escorrega Toledo.

Apesar da longa lista de exigências e proibições, o paulistano Alex Cale, 30, há dois anos gerente do único restaurante brasileiro nos Emirados, a churrascaria Chamas, em Abu Dhabi, tem boas impressões. "A violência é zero. No calor, quando os termômetros chegam a 50 graus, ligo o ar-condicionado do carro e o deixo destrancado, gelando, por uns dez minutos. Quando volto, ninguém tocou em nada", conta. Cale mora num apartamento de 65 metros quadrados com mulher e filha, oferecido pela churrascaria, e em breve o patrão começará a pagar a escola da menina. "Os costumes são severos, mas é só usar o bom senso e respeitá-los que dá para viver muito bem aqui", afirma. Em Dubai há quatro meses, o segurança de boate Vinicius Zonaro, de Jundiaí, no interior de São Paulo, ainda se espanta com as contradições: "Não se pode beber na rua, mas nos hotéis os turistas enchem a cara. Não se pode namorar, mas as boates estão todas lotadas de prostitutas, principalmente russas". A recepcionista Bruna Miranda, 26, que saiu de São José do Rio Preto, em São Paulo, há um ano para trabalhar em um hotel em Dubai, tem visão mais pragmática da situação. "O governo está investindo tudo em turismo. Então, eles fecham os olhos para o que os visitantes fazem. Aqui, tudo não pode, mas tudo termina podendo. E em excesso. Como, aliás, tudo em Dubai", diz Bruna. No próximo mês, uma rede de hotéis mandará representante ao Brasil para selecionar funcionários para um total de 400 vagas. Por enquanto, há cinquenta interessados.

 
 
----------------------------------------------------------------------------------------
Please watch our videos / favor assistir nossas reportagens

Our TV Channel  / nosso canal de TV  - http://www.metacafe.com/channels/mbrazil-marcelo/
---------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

 
 

Article about our Agency in Brazil -

The Hotelier Middle East Magazine - August- 2009
 
South America offers new recruitment market
 
 
Piereck moved to Dubai from Sao Paulo and is now part of the pre-opening team for Fairmont Bab Al Bahr.


With traditional recruitment source markets such as India and the Philippines becoming limited, it is more important than ever that hoteliers are not wholly reliant on one particular recruitment source.

This is the view of Mövenpick Hotel Jumeirah Beach general manager Peter O’Connor, who revealed that he had been inspired by CatererGlobal research presented at last year’s Arabian Travel market, which highlighted South America as an upcoming source market.

“South Americans are very hospitable by nature; their local cultures lend themselves well to the hospitality industry. Economically it makes sense for both parties, and the South American personality brings a lot of passion and spirit to our organisation. The new Mövenpick Hotel Jumeirah Beach will be a vibrant property and I want this translated through my team,” said O’Connor.

“Additionally, Dubai is now targeting South America as a feeder market with tour operators marketing Dubai as a destination and airlines following suit, so this demographic needs to be mirrored in our service,” he said.

O’Connor said he was looking to South America for guest contact roles primarily in guest relations and F&B for the hotel, which is scheduled to open in October.

According to M/Brazil recruitment director Marcelo Toledo, the demand for South American hospitality employees is matched by the eagerness of Brazilian nationals to work in the GCC, specifically in Bahrain, Abu Dhabi and the UAE.


 

M/Brazil launched the first Bahrain Hospitality Job Fair in Brazil last month, with the aim of attracting 600 delegates and filling 400 jobs in the region.

Toledo said: “We hope to explain to the candidates about this new market for South Americans and to get more employers in the UAE interested in hiring the best hospitality staff in the world”.

He said that while it was important to educate candidates about the culture and systems of the UAE, he thought that many would find a better standard of living in the country than they had at home.

“Since January, we have had more than 3000 people looking for jobs in the Middle East,” said Toledo.

He hopes to introduce individuals of the highest calibre to the region, such as Brazilian-born Fairmont Bab Al Bahar assistant manager — food and beverage / sommeliere Cristina Piereck.

Following the sale of her restaurant in Sao Paulo, Piereck moved to Dubai and joined The Address Downtown Burj Dubai, before launching the wine bar at Warehouse at Le Meriden Dubai and most recently being appointed a member of the pre-opening team for Fairmont’s Abu Dhabi property.

She said: “I had a very good image and impression of the hospitality industry here. The best leading hotels of the world are all located in the UAE and I was sure that there wasn’t anywhere else in the world where I could learn more.

"And how glad I became to find out that I was totally right! If you gain experience in the UAE, you are equipped to work all over the world. The UAE is today, in my opinion, a leader and an example for the hospitality business all over the world”.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Food & Beverage jobs
Jobs in United Arab Emirates
Chefs jobs
Front Office jobs
Food & Beverage Waiter jobs
Jobs in Middle East
Finance jobs
Hotel Management jobs
Jobs in Qatar
Finance jobs in Middle East
Housekeeping jobs
Food & Beverage Waiter jobs in Middle East
Front Office jobs in Middle East
Housekeeping Attendant jobs
Chef de Partie jobs
Restaurant Manager jobs
Front Office jobs in United Arab Emirates
Human Resources jobs
Jobs in Wales
Jobs in Maldives
Food & Beverage Manager jobs
Human Resources jobs in Middle East
Engineering jobs
Sous Chef jobs
Commis Chef jobs
Receptionist jobs
Sales & Marketing jobs
Hotel jobs in United Arab Emirates
Sales & Marketing jobs in United Arab Emirates
Chefs jobs in United Arab Emirates
 
 
 
 
 
 
Somos a Agência que apareceu na Revista Veja , Rede Globo , Rede Record , SBT
e dezenas de outros ótimos veículos de comunicação em todo o país  .